Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alimentação FODMAP

30.09.14 | André

alimentos.jpg

Na busca de um rumo, consultei uma nutricionista, que me falou no FODMAP (Fermentable Oligo-Di-Monosaccharides and Polyols), mas afinal o que é o FODMAP?

A teoria sustenta que FODMAP consumindo alimentos ricos em FODMAP, resulta em aumento do volume de líquido e gás no intestino delgado e grosso, resultando em distensão e sintomas como dor abdominal e gases e inchaço. A teoria propõe que se seguir uma dieta baixa em FODMAP, deverá resultar numa diminuição dos sintomas digestivos. 

 

Acreditando nesta teoria, segui algumas das suas recomendações, um dos links que podes consultar é o seguinte: http://ibs.about.com/od/ibsfood/a/The-FODMAP-Diet.htm

 

Deixo aqui uma lista de alguns alimentos com baixo FODMAP (menos gases no intestino):

 

FRUTAS

  1. Banana
  2. Mirtilo
  3. Uvas
  4. Melão
  5. Kiwi
  6. Framboesa
  7. Morango

VEGETAIS

  1. Rúcula
  2. rebentos de bambu
  3. cenouras
  4. Aipo
  5. beringela
  6. couve
  7. alface
  8. salsa
  9. batata
  10. abóbora
  11. batata doce
  12. tomate
  13. nabo

FONTES DE PROTEÍNA

  1. carne
  2. frango
  3. ovos
  4. peixe
  5. cordeiro
  6. carne de porco
  7. marisco
  8. Peru

 

É importante referir, que o facto de estes alimentos terem um baixo nível de FODMAP, não significam que seja adequados para a colite, no meu caso tenho introduzido diferentes alimentos, mas também tenho em atenção o nível de acides, fibra (e bom senso), as quais falarei noutro post.

Início do caminho alternativo

27.09.14 | André

caminho

 

 

Após um mês a tomar cortisona sem os resultados desejados, tomei a decisão de procurar alternativas que me permitam vencer a colite ulcerosa!

 

Considero que quanto menos atividade tiver o intestino, mais rápida poderá ser a sua cicatrização, por isso em Maio de 2014 alterei o tipo de alimentação, o método que utilizei, foi o de retirar "todos" os alimentos e ir introduzindo aos poucos e ver como reagia.

Assim, a minha alimentação nos primeiros tempos resumiu-se ao seguinte:

- carne (preferência pelas carnes brancas) / peixe apenas temperado com sal;

- batata cozida/assada

- arros e esparguete

- ovo cozido

- Maça, banana

- água

 

Nada de refrigerantes, doces, pão e comidas condimentadas. Para terem uma ideia mais precisa, o pequeno-almoço passou a ser um batido de maça com água, a meio da manhã e tarde, maçãs e bananas.

Isto não resolveu o problema no imediato, porque continuei a perder sangue, mas diminuiu a atividade do intestino

 

A 12 de Maio tive a primeira consulta com outra médica de Gastrenterologia, que após analisar a mais recente colonoscopia (intestino muito inflamada entre os 40 e 80cm, não sendo possível analisar a extensão da inflamação), recomendou o seguinte:

- Tomar um multivitanimico (tinha um défice de ácido fólico);

- Enemas/Entocort à noite alternadamente;

- Manter 125mg de Imuran e 3g de salofalk grânulos;

- Beber muita água.

Outra vez cortisona

26.09.14 | André

A 1 de Março de 2014 iniciei novamente uma fase de cortisona, comecei com 40mg e fui reduzindo gradualmente. Nas 4, 5 vezes em que tomei cortisona, resolveu os sintomas da colite ulcerosa, desta vez também acreditava que seria esse o desfecho. Em paralelo, mantive a outra medicação, salofalk grânulos, imuran e salofalk enemas.

No final desse mês terminei de cortisona, sentia-me melhor, a perda de sangue diminuiu, mas mão na totalidade.

 

Apenas um mês depois, a 30 de Abril voltei a fazer uma colonoscopia, o resultado foi desanimador, até 40cm a partir do reto estava tudo limpo, a partir dali até aos 80cm estava inflamado, não se avançou mais por receio de perfurar o intestino. O Drº aumentou-me o imuran de 100mg para 125mg, falou-me também que tenho de começar a pensar em iniciar o tratamento com medicamentos biológicos e aconselhou-me a ser acompanhado por uma colega (especialista em biológicos) dele.

Nesta altura, queria evitar o tratamento biológico, acho que por “medo” de saber que se este tratamento não resultar, o passo seguinte será a operação. Por isso tomei a decisão de procurar alternativas, a par do tratamento que tenho feito, irei trabalhar no sentido de encontrar outras soluções que me ajudem a vencer a colite!!!

Início dos anos

19.09.14 | André

 

fogo_artificio.jpg

 

Algo que tenho verificado quase anualmente, é que na entrada dos vários anos civis, portanto em Janeiro, costuma aparecer vestígios de sangue.

A que se deve isto?

  • Será devido à alimentação das festas de Dezembro?
  • Será porque nesta altura as pessoas estão mais sensíveis e vulneráveis?
  • Será porque depois de momentos de grande azáfama, o organismo começa a descontrair e os intestinos “mostram” o resultado da “não descontracção” em que se viveu os momentos anteriores

 

2014 não foi exceção e em Janeiro começou a aparecer vestígios de sangue, no início fiquei preocupado, mas sem alarmismos, por isso comecei estar mais atento.

A 14 de Janeiro tive uma consulta de gastrenterologia e o Drº recomendou manter 2 saquetas de salofalk grânulos, aumentar imuran de 75 para 100 mg e iniciar salofalk enemas.

A 26 de Fevereiro realizei mais uma colonoscopia e o intestino continuava inflamado, o passo seguinte foi iniciar novamente os corticóides.  

A frequência das crises

12.09.14 | André

Com que frequência é que temos crises (colite ulcerosa)?

Varia de pessoa para pessoa, de caso para caso, na minha situação passei os primeiros 8 anos da doença sem grandes crises, nos últimos 6 tive 4 grandes crises...o que alterou na minha? é a pergunta que eu mais coloco, para tentar perceber o que posso fazer ter uma saúde que não pareça um sinusóide, mas que se aproxime de uma linha em que a doença estabilize de uma forma positiva.

 

1) Estilo de vida

Nos últimos anos devido ao aumento de responsabilidades, a minha vida naturalmente mudou, deixei de ter tanto tempo para mim, para fazer as coisas que me davam mais prazer, as coisas que podia fazer quando me apetecesse. 

2) Alimentação

Desde que foi diagnosticada a doença alterei alguns hábitos alimentares, ou melhor, deixei de consumir algum tipo de alimentos, tipo couves, feijão, grão, ...(alimentos que aumentam a fermentação e gases no intestino), picantes. Eu nunca bebi café, nem consumi bebidas alcoólicas, por aí estou descansado. 

 

O estilo de vida e alimentação são dois temas muito importantes para o controlo da doença e que irei abordar em posts específicos, onde partilharei a minha experiência.

 

 

Medicação

09.09.14 | André

Medicação que estou a tomar:

 - Infliximab (tratamento biológico de 8 em 8 semanas);

- 4,5g salofalk grânulos;

- Salofalk enemas;

- 2 grânulos de ferrum phosphorium 5CH (homeopático);

- 2 grânulos de silicea 30CH (homeopático);

- 5 gotas de intestino 7CH (homeopático).

 

Cada caso é um caso, e todos devemos consultar um especialista antes de tomar qualquer medicamento.

A vida e as emoções

02.09.14 | André

A vida é feita de alegrias, tristezas, vitórias, derrotas....muitas emoções, desafios, aventuras e sonhos que nos afetam de forma positiva e outras vezes de forma negativa. Ninguém é igual, por isso a mesma situação afeta 2 pessoas de maneira diferente.

 

Em 2009, durante a maior crise que tive, devido ao mau ambiente que tinha no meu trabalho senti claramente que os factores psicológicos, como o «stress», embora não sendo responsáveis pelo aparecimento da colite ulcerosa, agravavam a crise pela qual estava a passar.

 

Como podemos olhar para uma situação negativa e criar-lhe uma barreira para não nos afetar?

Depende do nosso estado de espírito, que está diretamente relacionado com o nosso trabalho, hobbies, o nosso dia-a-dia...por isso o que faço é planear a semana para ter momentos que me permitam ter momentos de prazer, de descontração e relaxamento. No meu caso, o desporto e a natureza são muito importantes para garantirem os momentos que indiquei anteriormente.

E porque não juntar os dois? Sempre que posso vou correr no meio da natureza, porque esses momentos "libertam" a minha cabeça para poder encarar as adversidades de uma forma mais positiva.

 

Cada pessoa deve encontrar algo que a faça aproximar da sua essência, daquilo que a realize, daquilo que lhe permita ser mais feliz!