Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pequeno-almoço

31.10.14 | André

Durante o sono os nossos níveis energéticos baixam e são apenas utilizados para a manutenção das funções básicas do organismo. O pequeno-almoço sendo a primeira refeição do dia é de extrema importância para repor estes níveis e melhorar o rendimento cognitivo e concentração. Os especialistas dizem que este, deverá corresponder a cerca de 20-25% da energia total do nosso dia e ser rico em hidratos de carbono, rico em proteínas e com baixo teor de gorduras.

 

Há algum tempo a esta parte que venho adaptando a minha alimentação ao meu estado de saúde. Nesta alimentação não faz parte o pão, flocos de cereais, leite e derivados, assim o meu pequeno-almoço é constituído por um batido de fruta e vegetais:

  1. Melão
  2. Cenoura (+ um fio de azeite)

Para diversificar, substituo a cenoura por 1 ou 2 dos seguintes ingredientes: banana / maça / pêssego

pequeno_almoco2.jpg

 

 

Estes alimentos têm a seguinte constituição:

  1. Melão
    FODMAP - baixo
    FIBRA - 0,9g / 100g
    PROTEÍNAS - 0,6g / 100g
    HIDRATOS DE CARBONO - 5,7g / 100g
  2. Cenoura
    FODMAP - baixo
    FIBRA - 2,6g / 100g
    PROTEÍNAS - 0,6g / 100g
    HIDRATOS DE CARBONO - 4,4g / 100g
  3. Banana
    FODMAP - baixo
    FIBRA - 3,1g / 100g
    PROTEÍNAS - 1,6g / 100g
    HIDRATOS DE CARBONO - 21,8g / 100g
  4. Maça
    FODMAP - alto
    FIBRA - 1,9g / 100g
    PROTEÍNAS - 0,2g / 100g
    HIDRATOS DE CARBONO - 12,7g / 100g
  5. Pêssego
    FODMAP - alto
    FIBRA - 2,3g / 100g
    PROTEÍNAS - 0,6g / 100g
    HIDRATOS DE CARBONO - 8,1g / 100g

Glóbulos brancos

28.10.14 | André

A 4 de Setembro, dia do 2º tratamento com medicamentos biológicos estava eu no hospital preparado para uma nova sessão, quando a Drª disse-me que não poderia fazer o tratamento, porque o hemograma que tinha feito 2 dias antes revelou um baixo nível de leucócitos (ou glóbulos brancos que são responsáveis pela defesa do nosso organismo contra a presença de vírus, infeções ou outro agente externo que represente alguma ameaça à nossa saúde), o que significa que tinha as defesas em baixo, nessa altura estava a tomar 125mg de imuran e tinha feito o 1º tratamento com medicamentos biológicos 15 dias antes.

Um dos efeitos secundários do imuran e do tratamento biológico é baixar as defesas do organismo e os dois juntos deu este resultado, por isso a solução passou por retirar o imuran e voltar a fazer análises uns dias depois.

No dia 8 de Setembro voltei a fazer análises ao sangue, que revelou uma pequena melhoria do número de leucócitos o que permitiu que fizesse nesse mesmo dia o 2º tratamento com medicamentos biológicos. Nesta altura não via vestígios de sangue, o que me deixava super motivado e confiante no caminho que estava a percorrer.

 

1º tratamento biológico

24.10.14 | André

Apesar de francas melhoras, continuava a perder sangue e a 18 de Agosto de 2014 fiz o 1º tratamento com medicamentos biológicos no Hospital de Santa Maria, teve a duração de cerca de 2 horas e meia, onde me foi administrada a medicação infliximab via intravenosa.

Mantive a medicação anterior, ou seja, 125mg de imuran e 3g de salofalk grânulos, além da medicação homeopática e alguns dias após este tratamento verifiquei uma redução significativa da perda de sangue, estarei a caminho da remissão?

De qualquer forma vou continuar o meu caminho paralelo, quer em termos de alimentação, quer em termos de medicação homeopática, quer mesmo em termo de estilo de vida!

 

 

 

 

 

 

Colonoscopia

21.10.14 | André

colonoscopia.jpg

Já com o primeiro tratamento biológico agendado para 18 de Agosto, no final de Julho fiz mais uma colonoscopia total para aferir a evolução da colite.

Recordo que em Abril o intestino estava extremamente inflamado e depois disso iniciei um caminho paralelo ao da medicação convencional e por isso antes de fazer o exame tinha muita esperança que o resultado fosse muito diferente do anterior.

Para quem nunca fez uma colonoscopia, posso assegurar-lhes que não custa nada quando a mesma é feita com sedação, a parte mais difícil é a preparação para o intestino ficar limpo. Eu já fiz mais de 30 colonoscopias e durante muitos anos fiz sem sedação, o que me leva a dizer que agora é muito mais fácil.

Nos dias que antecederam o exame sentia que andava menos enervado e sobretudo não criava pressão sobre mim, outras das coisas que eu tomava atenção era à minha postura corporal (sobretudo costas) e respirar “pelos” intestinos. Sinto que este tipo de respiração faz descontrair os intestinos e aliviar a tensão.

 

O resultado da colonoscopia foi "o intestino está moderadamente inflamado entre os 30 e 70cm". Que alegria, alívio…significa que estou a melhorar a olhos vistos...fiquei sem palavras :-)

O esforço está a ser recompensado! Estamos na luta!!!

Nutrição

19.10.14 | André

Estive numa 2ª consulta com a Nutricionista, como não tenho nenhuma intolerância alimentar (pelo menos aos 30 alimentos que foram testados), tenho de continuar o caminho para descobrir os alimentos que me fazem mal. A Drª falou-me no site (www.insa.pt) onde consta as várias categorias de alimentos, incluindo os mais fibrosos, visto que as fibras insolúveis são mais agressivas para as doenças inflamatórias intestinais. Achei fantástica esta informação e em muitos casos surpreendente, sabiam que a banana é mais fibrosa que o pastel de nata ou o croissant!?!

http://www.insa.pt/sites/INSA/Portugues/AreasCientificas/AlimentNutricao/AplicacoesOnline/TabelaAlimentos/PesquisaOnline/Paginas/PorGrupo.aspx

 

Eu sinto que o meu organismo reage mal ao açúcar, isto é, fico com flatulência e cólicas (depende da quantidade que ingira), a Drª disse-me para experimentar comer apenas açúcar e ver como reajo, porque provavelmente poderá ser outra componente (da bolacha, bolo,…) que me provoque esta reação.

 

RECOMENDAÇÕES (da Nutricionista):

- Beber muita água;

- Continuar a registar diariamente a alimentação e a reação do organismo;

- Analisar os alimentos que têm mais fibra e identificar as reações no organismo.

 

CONCLUSÕES (minhas):

- Não há uma solução by the book, é como diz a Drª tem de ser tentativa erro…a luta contínua!

Tratamento biológico

17.10.14 | André

Em Julho (2014) fez 7 meses que estava a perder sangue diariamente, apesar de pequenas melhoras ainda não estava completamente bem.

Medicação que estava a tomar:

- 3g salofalk grânulos

- 125mg imuran

- 1 salofalk enema 

- 2 grânulos ferrum phosphorium (homeopático)

- 2 grânulos siliciea 30CH (homeopático)

- 5 gotas intestino 7CH (homeopático)

 

Eu sentia que a alimentação que estava a fazer e os exercícios que estava a praticar para ficar mais relaxado, estavam a dar resultado, mas não eram muito visíveis e estava a ser pressionado pelos médicos e família para experimentar o tratamento com medicamentos biológicos (infliximab) no hospital de Stª Maria. 

inflimab.jpg

 

A 21 de Julho e depois de muita hesitação, não "aguentei" a pressão e estive na 1ª consulta no hospital para avançar para o tratamento biológico, na qual ficou agendado uma bateria de análises e exames para despistar outras doenças e se estiver tudo bem, iniciarei o tratamento em Agosto. Este medicamento é administrado via intravenosa, sendo que o 2º tratamento é feito 2 semanas após o primeiro, o 3º 4 semanas após o segundo e os restantes de 8 em 8 semanas.

 

Não há volta a dar, tenho a doença há mais de 14 anos e nesse momento sentia que não podia desperdiçar a oportunidade de fazer este tratamento. De qualquer forma continuarei a minha luta para perceber melhor esta doença, a sua origem e o que provoca o agravamento da mesma. Tenho muitos sonhos, adoro a vida e o que mais quero é estar saudável e desfrutar de todos os momentos!!!

 

 

Coaching ajuda no combate à colite (parte II)

14.10.14 | André

(...) continuação do post anterior.

Para perceber como as emoções se manifestam na doença é um processo exploratório, assim como a forma de combate. Por isso, também me foi aconselhado a ler um livro (A linguagem do corpo), que relaciona o estado físico com o psicológico, transcrevo a seguir um trecho relacionado com os intestinos:

“A infeção intestinal é explicada pela medicina tradicional como o desenvolvimento de vírus e bactérias capazes de destruir a flora intestinal provocando sérios danos ao organismo.

Mas, se analisarmos o problema psicologicamente, entenderemos o porquê da infeção intestinal e entraremos num comum acordo.

Quando o ser humano devasta a floresta, é alterado todo um processo na Natureza e esta atitude gera secas, destrói animais e desencadeia mudanças climáticas, tudo devido à desarmonia do ecossistema.

Algo semelhante ocorre com o indivíduo que permite que a harmonia do seu sistema orgânico seja destruída através da ”devastação” de sua própria paz de espírito, das lembranças constantes de ódio e mágoas vividas em situações extremamente delicadas e, ainda, permite que opiniões alheias firam seus sentimentos. Como resultado desse estado psicológico lastimável haverá a perda do equilíbrio e do poder de harmonia entre a Natureza e seu corpo. Manter na mente lamentações e críticas sobre o comportamento e sistema de vida de outras pessoas faz com que os vírus que existem de forma organizada em toda a parte, dentro e fora do nosso corpo, recebam de nossa mente vibrações negativas de discórdia e assim é quebrado todo o sistema, que até então era perfeito. As bactérias, que até agora não lhe faziam mal, passam a ser conduzidas para cumprir o papel de mensageiras do inconsciente. Este, normalmente, está avisando a pessoa que seus sentimentos estão seguindo rumo incerto.

Harmonize-se com a vida e com tudo que faz parte dela. Mude sua maneira de pensar e procure ver o lado positivo da situação. Nada neste mundo poderá afetá-lo se você não o permitir. Não tenha medo de mudar e encontrar uma nova saída para seus problemas.”

 

O que é certo é que todos temos preocupações e problemas, o que é sinal que estamos vivos!

Temos é que aproveitar os vários recursos que temos à nossa volta, para os potenciar a nosso favor e não deixarmos que nos destruam. 

Coaching ajuda no combate à colite (parte I)

10.10.14 | André

O que é o coaching?

O wikipedia dá-nos a seguinte definição: "Coaching é um processo definido com um acordo entre o coach (profissional) e o coachee (cliente) para atingir um objetivo desejado pelo cliente. O coach (motivador) apoia o cliente na busca de realizar o objetivo, ajudando a traçar as diversas metas que somadas levam o coachee(motivado) ao encontro ao objetivo estabelecido dentro do processo de coaching. Isso é feito por meio de reflexões e posterior análise das opções e da identificação e uso das próprias competências, como o aprimoramento e também o adquirir novas competências, além de perceber, reconhecer e superar as crenças limitantes, os pontos de maior fragilidade. Coaching é, portanto, um processo objetivo, guiado por um conjunto de informações crescentes oriundas de sessões, estabelecendo metas, com a finalidade de atingir transformações positivas na vida do coachee."

 

Como eu considero que a colite ulcerosa está muito relacionada com o estado emocional, tomei a decisão de fazer algumas sessões de coaching para ver se me ajuda a controlar (1ª fase) e mais tarde curar a doença. Em julho estive na primeira consulta de coaching, foi sobretudo para fazer uma retrospecção da minha vida, dos vários momentos em que a doença se manifestou e as alterações que foram ocorrendo na minha vida.

A minha vida alterou-se muito nos últimos anos e coincidência ou não a doença começou a manifestar-se com maior frequência. Assim parece fácil resolver o problema, é voltar ao estilo de vida que tinha antes, mas isso já não é possível, tenho dois filhos lindos e uma esposa que me adora e me apoia nesta luta.

Então e agora?

Segundo a coach tenho de encontrar ferramentas que me possam ajudar a sentir-me no estado em que estava até 2007, ou seja, pessoa que libertava o stress no desporto, desfrutava da natureza e tinha momentos sozinho que me ajudavam a refletir e ficar num estado relaxado. Devido às circunstâncias da minha vida (muito preenchida) e da doença (nesta fase não é aconselhável fazer grandes esforços físicos) a sugestão foi iniciar meditação e ver como me sinto. O link com as meditações é o seguinte https://www.youtube.com/watch?v=FKvSHsGOXv0&list=PLE960459CD564C8AA

 

(...) continua num próximo post

 

 

Homeopatia no combate à colite

03.10.14 | André

homeopatia.jpg

Continuando na busca de alternativas que dessem resposta ao meu problema consultei uma Naturopata, a qual avaliou o meu estado de saúde e falou-me de algo que não é novo para mim e que vai ao encontro do que eu já considero como o grande despoletador das minhas crises, que são as emoções, as energias que me rodeiam, o mundo em que vivo, mas sobretudo como o vivo e o encaro.

 

  

É por aqui que tenho de continuar e deu-me mais força para chegar ao meu objetivo, a cura!!!

 

O universo está cheio de energias, as naturais são originadas na natureza, a dos homens estão filtradas e muitas deles são negativas e se não tivermos defesas podem afetar a nossa saúde. Vale a pena pensar nisto!

 

Medicação homeopática:

- 2 grânulos ferrum phosphoricum 5CH

- 2 grânulos silicea 30CH

- 5 gotas intestinos 7CH