Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Com a mesma frequência que faço o tratamento biológico (infliximab), faço análises. As mais recentes (20 Outubro) revelam um bom estado de saúde, o que na realidade mascara as pequenas perdas de sangue que ainda tenho. Sinto-me com energia e vontade de ficar completamente bom e é nisso que acredito e é por isso que não desistirei!

analisesOUT2016.jpg

 Na última consulta de Gastrenterologia, foi sugerido a alteração da frequência do tratamento biológico de 6 para 8 semanas, e estou a tomar a seguinte medicação:

 - Infliximab 10mg/Kg (tratamento biológico de 8 em 8 semanas);

- 4,5g salofalk grânulos;

- 2 saquetas VSL#3 (probiótico);

- 3x dia 5 grânulos Aranea Diadema 9CH (homeopático);

- 3x dia 5 grânulos Argentum Nitricum 9CH (homeopático);

- 3x dia 5 grânulos Kalium Bichromicum 9CH (homeopático);

- 3x dia 5 grânulos Baptisia 9CH (homeopático);

- 3x dia 10 gotas Podophyllum Compositum (homeopático).

 

Matthieu Ricard é considerado o homem mais feliz do mundo, quando lhe perguntaram se tem dias em que não é feliz, ele respondeu com uma metáfora.

Pensa na felicidade como um oceano profundo. A superfície pode estar agitada, mas o fundo está sempre calmo.

himalaias.jpg

Se conseguirmos aceder a uma calma interior profunda na nossa mente, então, independentemente dos altos e baixos do nosso dia a dia, dos desafios que vão surgindo, seremos mais saudáveis e felizes.

 

 

No início deste mês de Outubro, escrevi sobre as sete atitudes do mindfulness, olho para o mindfulness, a atenção plena como o veiculo que me levará a uma calma, a uma paz, a uma felicidade interior que me curará!

 

 

 

 

 

Hoje partilho a sétima e última atitude do mindfulness. Esta semana foi bastante enriquecedora com a aplicação destes desafios que me propus fazer, sinto que é o inicio de um caminho proveitoso.

mindful.jpgO desafio #7 de hoje é deixar estar / deixar ir. Quando praticamos as primeiras 6 atitudes, muitas vezes, a sétima acontece por si só. Se sentir que tem dificuldade em deixar uma coisa partir pode ser interessante investigar o que é que o mantém agarrado. Agarrar é o oposto de deixar ir. A questão é o que já sabe (inconscientemente) como deixar ir; é o mesmo que faz todas as noites ao adormecer.

 

O desafio #6 de hoje é a aceitação. Quando aceitamos estamos em paz com o que é. Vemos as coisas como elas são. Não significa que concordemos ou que aprovemos. A aceitação não é o mesmo que a não-ação; muitas vezes chega a ser o contrário, promovendo a mudança. Quando aceitamos vemos as coisas claramente e conseguimos saber o que fazer.

mindful.jpg

O desafio de ontem, o não-esforço não foi simples, senti por um lado uma presença maior, mas uma grande dificuldade em desligar-me das restantes situações que me rodeiam. Claramente que é preciso muita prática, quer nesta, quer nas restantes atitudes do mindfulness para ter uma presença maior.

 

 

 

 

 

Guardar

O desafio #5 de hoje é o não-esforço. A prática do não esforço pode ser muito desafiante para algumas pessoas. Quando praticamos o não esforço prestamos atenção à forma como estamos neste momento. Sem pretendermos mudar nada. Focamo-nos no momento presente sem nos esforçamos para atingir um objetivo. Podemos continuar a fazer o que estamos a fazer, mas o nosso estado emocional não está em esforço nem em luta. Imagine que não sabe onde colocou as chaves de casa. Procura-as por todo o lado mas não as encontra. Começa a sentir-se frustrado, irritado e stressado. E quando é que as encontra? Isso mesmo, precisamente quando para de as procurar. Quando deixa de fazer esforço, quando deixa as coisas fluírem.

mindful.jpgOntem deparei-me com algumas situações que desafiaram a aprendizagem que tenho vindo a fazer ao longo desta semana. Não sabia como reagir, e naqueles momentos tentei relembrar-me dos ensinamentos destes desafios e inconscientemente baixei os meus níveis de ansiedade e fiquei disponível para encarar as situações de uma forma mais tranquila.

 

O desafio anterior da Mente de Principiante não foi simples, rapidamente e em qualquer situação eu fui buscar uma experiência passada, crença ou apenas um comentário que tinha recebido. O facto de eu ter tido a consciência disso, fez com que conseguisse ultrapassar algumas "barreiras" durante o dia.

Sem dúvida, que a atitude da Mente de Principiante e restantes são para continuarem presentes no meu dia-a-dia.

mindful.jpgO desafio #4 de hoje é a Confiança. Quando praticamos a confiança, confiamos em primeiro lugar em nós, no nosso corpo e nas nossas emoções, Confiamos na nossa autoridade e intuição, mesmo que às vezes erremos. Honramos as nossas emoções e assumimos responsabilidade por nós mesmos e pelo nosso bem-estar. Confiamos também que tudo está certo, que as coisas não são diferentes neste momento porque simplesmente não são. Também confiamos na impermanência; no facto de que nada se mantém como é; que tudo é mutável.

O desafio #2, o da Paciência foi bastante desafiante e/ou o meu dia teve muitos desafios. Tive sempre presente esta atitude e a do desafio #1 (não-julgamento) e abordei os desafios do dia com a presença de que "Ser paciente é saber que cada coisa tem o seu tempo e estar bem com isso". Por vezes os pensamentos avançam para o futuro e invariavelmente tive que regressar ao presente, com a afirmação de que não vale a pensa sofrer por antecipação.

mindful.jpgO desafio #3 de hoje é a Mente de Principiante. Quando adotamos uma mente de principiante deixamos de lado crenças e experiências passadas. Estamos conscientes de que não sabemos como as coisas são agora e olhamos para o que está acontecer (eventos, pessoas, coisas, emoções e pensamentos) como se o fizéssemos pela primeira vez. Sabemos apenas que cada momento é único e que tudo o que fazemos será feito pela primeira e última vez. Sabemos que, nesta vida, não fazemos nada duas vezes.

 

 

O desafio de ontem, o não-julgamento esteve sempre presente no meu dia, e com isso em todas as situações pensei antes de agir, o que ajudou que o meu dia fosse calmo e sem stresses.

mindful.jpg

O desafio #2 de hoje é a Paciência. Quando somos pacientes deixamos as coisas "desabrocharem" a seu tempo. Quando a larva está em metamorfose não adianta abrir o casulo porque a borboleta não chegará mais cedo. Ser paciente é saber que cada coisa tem o seu tempo e estar bem com isso. Quando somos pacientes também somos com nós mesmos. Estamos em paz com o fluir da vida.

As nossas emoções, a forma como encaramos os desafios da vida, as nossas crenças, a nossa vivência, aquilo em que nos focamos, os nossos hábitos e rituais,... definem o nosso estado, a nossa saúde, a nossa vida!

 

Não tenho dúvidas que estes fatores alimentam a colite e eu quero apetrechar-me de mais e melhores ferramentas para não a "alimentar" mais.

 

 

Por isso, hoje vou iniciar uma prática que ainda não aprofundei tanto quanto desejaria, que é o Mindfulness e assim durante a próxima semana vou desafiar-me com uma atitude nova por dia, que irei aplica-la nesse mesmo dia (e seguintes) para me tornar mais Mindful, libertar o stress e a ansiedade.                                                                          mindful.jpg

O desafio #1 de hoje é o Não-julgamento. Quando não julgamos, olhamos para as coisas exatamente como elas são. Sem analisarmos e sem ativarmos crenças. Somos testemunhas da vida. Vemos as coisas, os acontecimentos, as pessoas, os pensamentos e as emoções sem avaliarmos se são bons ou maus. São o que são.

 

 

Comemora-se hoje, dia 1 de Outubro o dia Mundial do Vegetarianismo. Este dia foi estabelecido em 1977 pela Sociedade Vegetariana Norte Americana. Depois disso, todos os anos, comunidades vegetarianas em todo o mundo têm celebrado o Dia Mundial do Vegetarianismo.

 

vegetariano.jpg

 O dia divulga os benefícios da comida vegetariana para as pessoas, para os animais e para o meio ambiente, e inicia o mês do vegetarianismo, que termina com a chegada do dia 1 de novembro, que é até o Dia Mundial do Veganismo.

 

 

 

Eu não sou vegetariano, mas há alguns meses que deixei de comer carne, e há vários anos que não consumo leite, nem derivados. Procuro fazer uma alimentação cada vez mais saudável, por isso há quase um ano que também não consumo alimentos que tenham açúcar, como bolos, chocolates, sobremesas, sumos,...

 

Referência:

  1. Centro Vegetariano. Disponível em: http://www.centrovegetariano.org/Article-317-Dia%2BMundial%2Bdo%2BVegetarianismo.html