Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Qua | 26.05.21

Como viver para ter + de 100

André

Existem no mundo lugares especiais onde as pessoas têm vidas longas e saudáveis, são as chamadas Zonas Azuis, onde se vive normalmente até aos 100 anos.

Agora podemos ter uma vida longa e saudável, e nada melhor que conhecer estas áreas (como Okinawa no Japão, Sardenha em Itália ou Icária na Grécia), que têm sido objeto de extensas investigações para percebermos os fatores que influenciam a longevidade destas populações.

 

Duas das caraterísticas comuns às populações das várias zonas são a alimentação e a adoção de práticas diárias para aliviar o stress.

 

Os habitantes das Zonas Azuis sofrem com os mesmos tipos de stress que nós. Preocupam-se com os filhos, com o dinheiro, com a saúde. Só que têm rituais sagrados na sua vida quotidiana.

Estas rotinas são realmente importantes, porque o stress provoca inflamações – e a inflamação crónica está na raiz de todas as patologias relacionadas com a idade, incluindo as cardíacas, alguns tipos de cancro e até a doença de Alzheimer.

 

Conseguimos escapar totalmente ao stress?

Não, mas podemos organizar o nosso meio envolvente para reduzir a sua intensidade.

 

Que rotinas os habitantes das Zonas Azuis utilizam para dissipar o stress?

  • Os de Okinawa reservam alguns momentos do dia para lembrar os seus antepassados;
  • Os de Loma Linda na Califórnia rezam;
  • Os de Icária dormem a sesta;
  • Os da Sardenha têm uma happy hour.

BlueZones.jpg

@Bluezones

Todos os estudos feitos nas Zonas Azuis, mostram que as pessoas vivem em função de alguma coisa além do trabalho. Os naturais de Okinawa chamam-lhe ikigai e os de Nicoya dão-lhe o nome de plan de vida. As duas designações remetem para «a razão por que me levanto de manhã».

 

Os estudos mostram ainda que ter um propósito pode acrescentar até sete anos à esperança de vida, e contribui decisivamente para a qualidade de vida mental.

 

Referências:

  1. Blue zones
  2. TedTalk, How to live to be 100+. Disponível aqui
  3. Pubmed, The contribution of purpose in life to psychological morbidity and quality of life in chronic pain patients. Disponível aqui
Qua | 19.05.21

Dia Mundial das DII

André

Mais de 20 mil Portugueses e 10 milhões em todo o mundo vivem com uma DII (Doença Inflamatória do Intestino). Normalmente estas doenças são diagnosticadas entre os 15 e 35 anos e podem afetar ambos os sexos de igual forma.

 

Por serem doenças invisíveis, há uma dificuldade natural em compreendê-las, aceitá-las e perceber as necessidades destas pessoas.

 

Quem tem este tipo de doenças, muitas vezes apenas procura um ombro amigo, alguém em quem possa confiar, em partilhar o que sente, os desafios que está a atravessar, sem julgamentos. Procuramos empatia!

 

Hoje celebra-se o Dia Mundial das Doenças Inflamatórias do Intestino, e aproveito a oportunidade para agradecer e felicitar o trabalho notável que tem sido feito nos últimos anos em Portugal para tornar estas doenças mais visíveis aos olhos da sociedade.

Obrigado,

 

E também a 2 das várias iniciativas particulares:

DiaMundialDII.jpg

Seg | 17.05.21

Vacina? Chegou o momento

André

As notícias sobre uma nova doença na China chegaram aos meios de comunicação social em Janeiro de 2020. Parecia algo distante para quem vive na Europa ou América, mas rapidamente o vírus se espalhou, e o mundo ficou em suspenso durante longos meses a assistir incrédulo a situações que pareciam ter sido retiradas de um filme.

 

As primeiras vacinas foram aprovadas e declaradas seguras e eficazes em Dezembro do ano passado e desde então o processo de vacinação começou um pouco por todo o mundo a diferentes velocidades.

 

Há quem resista e quem desespere pela chegada do momento para ser vacinado. Quem tem uma Doença Inflamatória do Intestino (DII) tem prioridade? Pertence ao grupo de risco?

Em Portugal, neste momento está a vacinar-se pelo critério da idade, sendo que o SNS24 considera que as pessoas que têm o sistema imunitário comprometido pertencem ao grupo de risco, e estas são:

  • Em tratamentos de quimioterapia;
  • Em tratamentos para doenças auto-imunes (artrite reumatóide, lúpus, esclerose múltipla ou algumas doenças inflamatórias do intestino);
  • Infetados com o vírus da imunodeficiência humana;
  • Transplatados.

 

Doenças crónicas como:

  • Doença cardíaca;
  • Doença pulmonar;
  • Doença oncológica;
  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes;
  • Entre outros.

 plano vacinação.jpg

Se pertencermos ao grupo de risco, o que podemos fazer?

Uma das possibilidades e que tem sido um pouco difundida na comunicação social, é a vacinação em contexto hospitalar, em que doentes acompanhados em consultas externas podem ser vacinados nos próprios hospitais. Pretende-se aqui vacinar um nicho de pessoas com doenças mais complexas, doenças oncológicas, doenças auto-imunes, transplantados. Já há vários hospitais a aderirem a esta metodologia de vacinação, entre os quais o Hospital Santa Maria em Lisboa.

A melhor forma é contactar o seu gastrenterologista, já que será necessário o médico emitir uma declaração eletrónica para o efeito.
 
 

Eu na semana passada, tive uma consulta online de gastrenterologia e a minha médica confirmou que poderia ser já vacinado, e colocou-me na lista. O processo foi muito rápido, e dois dias depois tomei a primeira dose da vacina.

vacinacao.jpg

19 de Maio é o Dia Mundial das DII 

Referências