Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Seg | 10.04.17

A alimentação da microbiota intestinal

André

butirato e o acetato são ácidos gordos de cadeia curta que são produzidos pela microbiota. O tipo de alimentos que comemos determina o tipo de microbiota que temos. Alimentos ricos em fibras e amido resistente são os principais alimentos de bactérias benéficas e protetoras do nosso intestino. Ao fermentarem essas fibras e amidos, certas bactérias produzem substâncias como o butirato ou o acetato, as quais têm inúmeros benefícios para a saúde.

 

O butirato é a principal fonte de energia das células do intestino e está associado a inúmeros benefícios para a saúde:

- Diminui a inflamação;
- Reforça a barreira intestinal;
- Diminui a permeabilidade intestinal;
- Reforça as junções apertadas das células do intestino;
- Aumenta a formação de mucosa intestinal;
- Aumenta o número de linfócitos T reguladores;
- Diminui o pH do intestino.

 

microbiota.jpeg

 

A Viver Saudável, fala-nos como NÃO alimentar a microbiota intestinal:

É importante restringir o consumo de alimentos ricos em gordura saturada e de alimentos que tenham na sua constituição aditivos alimentares como os emulsionantes e os adoçantes artificiais ou outros contaminantes (pesticidas e metais pesados), uma vez que estes causam um desequilíbrio na composição do microbiota intestinal e dessa forma, comprometem a resposta do hospedeiro a certo tipo de nutrientes.

 

Referências:

  1. Como não alimentar a microbiota intestinal. Disponível em: 
    http://www.viversaudavel.pt/opiniao/microbiota-intestinal-claudia-marques-atualidades-em-ciencia

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.