Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A palavra mágica

16.02.16 | André

Como é que se consegue viver sem dor? Como é que podemos esquecer alguém que nos faz falta? Como podemos ser felizes sem sofrimento? Como podemos viver cada momento como ele está realmente a acontecer?

 

As doenças surgem, as pessoas partem, as separações acontecem, as dificuldades aparecem,...podemos resistir, ser fortes, lutar, batalhar, remar contra a maré e no final? Como nos sentimos?

 

Aceitação é a palavra mágica, mágica porque transforma, aceitarmo-nos tal como somos, aceitarmos os outros, aceitarmos os factos, aceitarmos a doença, aceitarmos as dificuldades, aceitarmos a solidão,... ACEITARMOS  A VIDA, quando aceitamos remamos a favor da maré!

 

Quando a circunstância é boa, devemos desfrutá-la; quando não é favorável devemos transformá-la e quando não pode ser transformada, devemos transformar a nós mesmos - Viktor Frankl

 

Terminei recentemente a leitura do livro "Educar com Mindfulness" da Mikaela Oven, à partida poderia pensar-se que é um livro apenas para pais e foi com essa intenção que o comprei, mas este livro é muito mais abrangente, é dirigido a todas as pessoas que querem evoluir, crescer, melhorar, tornar-se saudáveis, tendo relações ainda mais saudáveis.

 

As emoções têm um papel importante em muitas doenças, como as doenças inflamatórias do intestino, também por isso recomendo a leitura deste livro, o mesmo pode ser transformador na gestão das emoções de quem aceite a sua leitura e esteja disposto a crescer para um nível nunca antes atingido.

 

Partilho um trecho do livro e um vídeo da Mikaela.

 

EducarMind.jpg

É importante esclarecer o que é, realmente, a aceitação. É uma palavra fácil de utilizar mas difícil de aplicar, se não soubermos exatamente o que queremos dizer quando a utilizamos.

Quando falo de aceitação estou a falar de uma constatação de factos. Quando aceita, está bem com o que é. Não luta contra o que é porque entra em sofrimento. Quando aceita, está em paz com o fluir da vida.

A aceitação é frequentemente confundida com a aprovação, apesar de serem dois conceitos bem diferentes! Aceitar não significa não agir ou não mudar nada. Pelo contrário, quando aceita, está, provavelmente, a abrir caminho para ver com mais clarividência as alternativas de que dispõe. Acredito até que, para conseguir mudar alguma coisa a sério, tem primeiro de aceitar a situação que tem à sua frente. Mais ainda, pode aceitar as escolhas que alguém faz, ainda que não as aprove. Aceitação também não quer dizer gostar, concordar ou desistir.

 

Quando aceita, escolhe ver, ter e viver a realidade interna e externa sem tentar fugir, evitar, afastar ou julgar. Aceita que os seus pensamentos, emoções e crenças são o que são, e que são isso mesmo! Aceita o que acontece à sua volta também é isso mesmo: o que é!

 

Em alguns contextos, aceitar significa ter a consciência que não podemos fazer nada, e que não vale a pena esforçarmo-nos para mudarmos alguma coisa. Quando lutamos contra uma realidade que não podemos modificar, ao invés de a aceitarmos, aumentamos o nosso sofrimento. Mas o grande paradoxo é que, quando aceitamos as coisas como elas são, e quando nos aceitamos como somos, podemos mudar. É curioso e caricato, não é? Quando consegue olhar para si e para o que se passa consigo com algum distanciamento sem julgar e sem tentar mudar, possibilita a mudança...