Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Qua | 30.12.15

APDI - Recomendações alimentares (parte II)

André

No seguimento do post anterior, partilho mais recomendações da APDI (Associação Portuguesa da Doença Inflamatória para o Intestino), sendo que agora no que respeita à alimentação de quando a colite ulcerosa está numa fase ativa.

 

 

Falemos agora de um doente em crise, com atividade da doença (colite ulcerosa). Com a exceção das doenças estenosantes de que já falámos atrás, as DII em atividade manifestam-se por diarreia e cólicas abdominais. Nestes casos, PODE estar recomendado uma dieta mais «ligeira», sem fibras, sem leite ou derivados. Digo PODE e não DEVE, porque de facto nada está escrito ou demonstrado a este respeito. No entanto, nem tudo o que se faz em Medicina tem de estar demonstrado! Pode ser uma medida de senso comum, que não está incorreta, sobretudo se for por um período curto, de alguns dias ou uma semana no máximo. O que importa realçar neste caso é que com os medicamentos hoje disponíveis, não existe razão para um doente com DII estar com atividade da doença por períodos prolongados, exceto em casos excecionais, felizmente cada vez mais raros. Assim, estas dietas restritivas, PODEM estar recomendadas por um período limitado de tempo, alguns dias apenas, pois se este período se alarga muito podemos correr o risco de criar desequilíbrios, carências nutricionais. Assim, uma restrição prolongada de leite, derivados e alguns legumes ricos em cálcio e ferro pode contribuir para agravar uma doença óssea, osteopénia ou osteoporose, ou uma anemia que têm já maior prevalência nos doentes com DII.

2 comentários

Comentar post