Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Qua | 26.05.21

Como viver para ter + de 100

André

Existem no mundo lugares especiais onde as pessoas têm vidas longas e saudáveis, são as chamadas Zonas Azuis, onde se vive normalmente até aos 100 anos.

Agora podemos ter uma vida longa e saudável, e nada melhor que conhecer estas áreas (como Okinawa no Japão, Sardenha em Itália ou Icária na Grécia), que têm sido objeto de extensas investigações para percebermos os fatores que influenciam a longevidade destas populações.

 

Duas das caraterísticas comuns às populações das várias zonas são a alimentação e a adoção de práticas diárias para aliviar o stress.

 

Os habitantes das Zonas Azuis sofrem com os mesmos tipos de stress que nós. Preocupam-se com os filhos, com o dinheiro, com a saúde. Só que têm rituais sagrados na sua vida quotidiana.

Estas rotinas são realmente importantes, porque o stress provoca inflamações – e a inflamação crónica está na raiz de todas as patologias relacionadas com a idade, incluindo as cardíacas, alguns tipos de cancro e até a doença de Alzheimer.

 

Conseguimos escapar totalmente ao stress?

Não, mas podemos organizar o nosso meio envolvente para reduzir a sua intensidade.

 

Que rotinas os habitantes das Zonas Azuis utilizam para dissipar o stress?

  • Os de Okinawa reservam alguns momentos do dia para lembrar os seus antepassados;
  • Os de Loma Linda na Califórnia rezam;
  • Os de Icária dormem a sesta;
  • Os da Sardenha têm uma happy hour.

BlueZones.jpg

@Bluezones

Todos os estudos feitos nas Zonas Azuis, mostram que as pessoas vivem em função de alguma coisa além do trabalho. Os naturais de Okinawa chamam-lhe ikigai e os de Nicoya dão-lhe o nome de plan de vida. As duas designações remetem para «a razão por que me levanto de manhã».

 

Os estudos mostram ainda que ter um propósito pode acrescentar até sete anos à esperança de vida, e contribui decisivamente para a qualidade de vida mental.

 

Referências:

  1. Blue zones
  2. TedTalk, How to live to be 100+. Disponível aqui
  3. Pubmed, The contribution of purpose in life to psychological morbidity and quality of life in chronic pain patients. Disponível aqui

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.