Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Seg | 07.06.21

Descobre os 6 alimentos que devemos evitar

André

Sempre me considerei uma pessoa saudável, e isso devo-o ao muito desporto que praticava e que me alimentava a alma, corpo e sonhos. Nunca tive vícios que fossem prejudiciais para a saúde, tabaco, álcool ou drogas sempre se mantiveram afastados.

 

O facto de praticar desporto e não ter vícios, não impediu de me fosse diagnosticado colite ulcerosa (doença inflamatória do intestino) quando já era um jovem adulto.

Como uma pessoa “saudável” de um momento para o outro é-lhe diagnosticada uma doença crónica?

 

Achava que fazia uma alimentação equilibrada, apesar de consumir mais carne do que peixe e ser muito guloso.

Como poderia um “louco” por doces resistir a um bolinho?

 

Só anos mais tarde e depois de muitos altos e baixos tive a noção da importância da alimentação no meu bem-estar, e aí tinha razões para alterar a minha dieta e mudar o meu mind-set para voltar a sentir-me saudável.

pro-inflamatorio.jpg

@unsplash

 

Com base em vários estudos epidemiológicos listo alguns alimentos e nutrientes que são pró-inflamatórios:

  • Gorduras saturadas e hidrogenadas, vários estudos epidemiológicos mostram haver uma relação entre o consumo destas gorduras e um aumento dos marcadores de inflamação. De acordo com esses estudos parece existir uma relação mais acentuada entre níveis superiores de inflamação e o consumo de alimentos como carnes vermelhas e processadas, produtos lácteos gordos e batatas fritas.
  • Hidratos de carbono simples, o consumo de alimentos de índice glicémico elevado pode levar a uma situação de hiperglicémia, a qual causa inflamação através da produção de radicais livres e citoquinas pro-inflamatórias. O consumo de açúcar e farinhas refinadas
  • Colestrol, uma dieta rica em colesterol, está associada a um aumento dos níveis inflamatórios. Por outro lado, uma dieta pobre em colesterol diminui os marcadores de inflamação.
  • Obesidade, a obesidade está associada a níveis elevados de inflamação crónica.

 

Sabemos que a inflamação é uma resposta do sistema imunológico quando existe uma infeção, irritação ou lesão dos tecidos. Embora a inflamação aguda seja um mecanismo natural e até desejável para controlar uma infeção ou reparar tecidos danificados, torna-se indesejável quando se instala como uma condição crónica.

 

A dieta pode não curar, mas ocupa um papel central e determinante para a gestão dos níveis inflamatórios no organismo!

 

Referências:

  1. American Institute for Cancer Research e World Cancer Research Fund. Food, nutrition, physical activity and the prevention of cancer: a global perspective. Disponível aqui.
  2. World Health Organization. IARC Monographs evaluate consumption of red meat and processed meat. Disponível aqui.
  3. Pubmed. Anti-Inflammatory Diets and Fatigue. Disponível aqui.