Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Ter | 16.12.14

Dor e Prazer

André

Tudo o que fazemos se deve à necessidade de evitar DOR ou ao nosso desejo de obter PRAZER!
Quantas vezes nos sentimos frustrados, furiosos, mesmo arrasados porque sabemos que precisamos de agir, mas não conseguimos?

dor&prazer.jpg

Porque continuamos adiar aquela dieta? O que nos impede de iniciar aquele negócio que estamos a planear há anos? O que nos impede de nos aproximarmos do homem ou mulher dos nossos sonhos? O que nos impede de dizer aquela pessoa que a amamos?

Embora saibamos que estas ações iriam-nos beneficiar, que trariam satisfação às nossas vidas, deixamos de agir porque naquele momento associamos mais dor ao ato de fazer, do que à perda da oportunidade.

 

Quem tem colite e quando está numa fase ativa da doença, tem a força necessária para fazer uma dieta que minimize (dentro do possível) os efeitos da atividade da doença. E quando a doença está em remissão? Porque é que a nossa força de vontade não é tão grande?
Porque nessa altura não associamos o ato de comer um "prego no pão com mostarda" à dor da perda de sangue ou irmos a correr para a casa de banho.


Em qualquer área da nossa vida, se associarmos uma dor maciça a qualquer padrão emocional ou comportamento, evitamos assim ceder a esse padrão.

 

Como tenho partilhado em posts anteriores e depois de várias crises, em Abril de 2014 escolhi o caminho da mudança para me levar à cura e esse caminho tem passado entre outras coisas por uma alteração ainda maior na minha alimentação. Confesso que uma das coisas que eu mais gosto são os doces, que me dão um prazer imediato, mas consumidos em grande quantidade não nos fazem bem, pelo nível glicémico, por serem pró-inflamatórios, pelas células cancerígenas "alimentarem-se do açúcar",...e para resistir associo-os à DOR que tenho durante as crises e ao PRAZER de me sentir bem e saudável.