Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Vencer a Colite

Criança, adolescente, jovem, desportista, saudável. Aos 22 anos fui diagnosticado com colite ulcerosa, e agora?

Qua | 28.11.18

Junta-se a fome com a vontade de comer

André

Junta-se a fome, com a vontade de comer - já diz o ditado popular. Ditado este, que se pode bem aplicar à minha situação, nomeadamente, no que respeita ao tratamento e medicação.

 

Nos últimos meses não tenho partilhado muito sobre os tratamentos e exames que tenho vindo a fazer. No inicio do ano de 2018, agravaram-se uns sintomas que já se vinham a manifestar há algum tempo, os tremores na cabeça. Fiz uma série de exames, análises, etc...e... não se identificou nada de anormal.

 

Há um dia que tenho sempre presente, 29 de Julho de 2015. Nesse dia fiz uma colonoscopia, no dia seguinte comecei a perder um pouco de sangue pelas fezes, o que é uma situação vulgar após uma colonoscopia, o que não é vulgar é que passados mais de 3 anos, ainda esteja a perder sangue!!!

 

André, estás a dizer que estás a perder sangue diariamente há mais de 1000 dias?

No primeiro ano e meio (até final de 2016), "monitorizava" o sangue, estava sempre em cima do acontecimento, tentava estabelecer uma relação entre o "resultado", e o meu dia, a minha alimentação, esta situação estava-me a deixar "louco". Naquela altura, tentei com sucesso livrar-me deste sofrimento, e segui em frente com a minha vida, e durante alguns meses não vi se continuava a perder sangue.

 

Gradualmente comecei novamente a "monitorizar" as perdas de sangue, e elas estão lá! É uma situação que já me deixou de afetar psicologicamente, porque fisicamente sempre me senti e continuo a sentir maravilhosamente bem.

sinal_transito.jpg

A fome juntou-se com a vontade de comer, quando os tremores agravaram-se (inicio de 2018) e o infliximab não estava a ser 100% eficaz devido as estas perdas de sangue. A minha médica, por suspeita que o infliximab pudesse estar a causar os tremores, decidiu suspender a administração e então comecei um novo tratamento biológico, com o fármaco vedolizumab.

 

Já fiz 5 ou 6 tratamentos, e até ao momento não senti alterações nos sintomas que descrevi, tremores continuam (a causa não era o infliximab) e o sangue continua a aparecer (o vedolizumab é um pouco mais lento a fazer efeito) e continuo com grande energia!

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.